Patriarcado à mulheres: se eu quero a sua opinião, eu vou dá-la a você (Tradução)

Texto Original

Ele (ele é todo homem) me acusa de ter um argumento irracional e simplista, mas eu nem tentei argumentar. O que há com homens pensando que os “argumentos” das mulheres são errados quando mulheres não estão nem argumentando?

Argumentar com nossos opressores é inútil. Eles não vão entender. Nunca. E eles vão dizer sempre que eles ENTENDEM e que a razão pela qual eles não concordam é porque nosso argumento é equivocado. Mas eles estão errados. A razão pela qual eles não entendem é porque nosso argumento é baseado na REALIDADE FEMININA da qual eles não participam e nunca, nunca vão, porque eles nunca serão mulheres. Nunca. Nunca. É como explicar a televisão para homens da caverna sem mostra-los uma televisão. Há elementos na nossa realidade que são literalmente invisíveis a homens e sempre serão PORQUE eles são homens. Este não é um pensamento simplista e binário, isso é a realidade biológica, social e cultural. Felizmente, nós também não temos que convencer homens de nada para entendermos em nossas mentes sobre assuntos relacionados inteiramente a nós. Nós não devemos à homens explicações e certamente, nós não temos que referenciar todas nossas percepções através de homens para elas serem reais. Essa noção é misógina e colonizadora. Nós podemos analisar nossa própria realidade e homens não entendem uma palavra sobre isso. Eu não vejo = / = (diferente de) isso não existe. Nós vemos isso. Você não. E é por isso que chamamos isso de cegueira. E você vai sempre e sempre estar cego a realidade feminina, então não tente me dizer como é aqui. Eu estou completamente cansada de discutir feminismo, ou seja, realidade feminina com esse cara (ele é todo cara).

É mais divertido e vantajoso trocar ideias com mulheres, embora que ele ainda vá tentar parasitar algo (na verdade, tudo que ele puder até que estejamos mortas) da nossa energia batendo uma enquanto ele tenta intervir. Mesmo ignorando-o, nós temos que usar a nossa energia para continuar ignorando-o, porque ele constantemente nos atormenta por atenção.

Também eu quero adicionar que essa presunção que homens tem que quando mulheres nomeiam a sua realidade, na verdade estamos tentando argumentar com eles e presumem que não temos conceito de o que a nossa realidade é a menos que eles aprovem como reais. Como, embora, nós não podemos simplesmente exprimir “é assim” sem ter que receber a aprovação masculina da nossa situação. É por isso que eles pulam no argumento. A verdade é que nós não estamos argumentando. Nós estamos te dizendo. É assim. Nós não estamos te procurando para apurar isso para fazer ser real. Muito do problema desse paradigma é que mulheres vivem em um mundo onde a realidade dos homens é real, a realidade das mulheres não é real, e tudo que pensamos que pode ser real tem-se que passar primeiro por um homem para ter certeza de que ele veja isso também (leia: para que ele então possa assegurar-nos que estamos alucinando se acontecer de percebermos algo que possa comprometer toda a dominação dele sobre nós). Homens não fazem isso com mulheres. Eles não referenciam as percepções deles com as mulheres para terem certeza de que eles não são… espere… irracionais ou delirantes. Porque homens tem a cultura apoiando-os desde o nascimento dizendo que homens são racionais e mulheres não. Homens tem o patriarcado dizendo que homens são os decisores de tudo e que mulheres são abandonadas emocionais. Nós somos feitas para duvidarmos de nossas próprias percepções, mesmo quando sentimos nas nossas tripas o que é real e verdadeiro e todos sinais apontam para isso.

Mulheres que NÃO confirmam com homens que nossa realidade é real são registradas no radar masculino como nada mais que insanas, bruxas, precisando de lobotomia, histéricas, blá blá blá etc para sempre. Felizmente, uma vez que alcançamos esse ponto, essas tentativas feita por eles para continuar nomeando a realidade como ele acredita que é seu por direito cai no raso em mulheres que perceberam que isto é direito delas. Nós não pedimos validação masculina. Nós validamos nós mesmas e não nos importamos com o que homens pensam.

Imagine esse cenário:

Você vive numa cidade onde chove. Você viaja para outra cidade. Você diz a alguém que na sua cidade chove. A pessoa responde “eu não acho que este seja um bom argumento”. Você explica que você É de lá e que você VIU a chuva e que você na verdade não está argumentando, apenas dizendo para ele COMO É. Ele diz que isso também não é um bom argumento, porque não está chovendo na cidade dele. Você diz a ele que é porque sua cidade fica em outro lugar. Você explica como o clima pode ser diferente em duas cidades. Por alguma razão, você está espantada pela aparente ignorância dele, que você até começou a explicar condensação e a ciência da queda da chuva (ele parece sem noção, quanto mais eu vou ter que explicar para ele?). Logo você se percebe explicando a estrutura molecular da água, ao que ele responde que o clima é igual em todo lugar; ele sabe porque ele inventou isso e controla isso e é amigo do homem do tempo, ah, e também a sua cidade não está no mapa dele, então você é de lugar nenhum, sua trapalhona idiota; agora você não está apenas inventando histórias sobre chuva, você também está alegando que ela acontece em lugares que não existem, e na sua ilusão você ainda acredita que você é de lá! Prendam ela! Ela é doida! Nesse ponto sua boca começa a espumar. Você aponta que no mapa dele, a sua cidade está faltando. Você sabe que é real. Você esteve lá. E também, pelo amor de tudo que é sagrado CHOVE lá, também! Ele disse “olha, agora você está ficando zangada porque você não consegue argumentar sobre a existência da chuva, ou sobre essa cidade que você inventou, a qual não está no mapa.” Então você aponta que talvez a pessoa que fez o mapa nunca esteve lá. “IMPOSSÍVEL!” ele responde como se você estivesse acabado de dizer que porcos voam. “Porque?” você indaga. Você diz, “É totalmente possível. Na verdade, DEVE ser o caso, porque EU CONHEÇO essa cidade, eu NASCI lá, então qual a outra explicação poderia ter para ela estar faltando no seu mapa?”

Eu acredito que através de toda essa conversa, o gaslighting, o ciclo de funcionamento, o puxão de cabelo, o que nós estamos perdendo nisso é que: ele sabe da merda da cidade, porque ele a destruiu, a extinguiu e a colonizou. E ele sabe que chove lá porque ele controla o clima, como ele disse. Ou ao menos, ele pensa que controla. Garoto, ele tem uma onipotência sobre ele. E ele diz que nós estamos delirando? Espere um minuto… hmmmmm.

Não há nada para argumentar. Isto não é sobre argumentos. Isto é sobre dominação. Eles não estão tentando argumentar com nós com essas “discussões”. Eles estão tentando nos calar. Voltas e voltas que nós damos, horas depois fumigando, nos perguntando porque eles simplesmente NÃO ENTENDEM.

Eles entendem. É precisamente este o problema. O que eles não conseguem acreditar e provavelmente estão tão distraídos e entretidos para testemunhar é que você luta duramente. A maioria das mulheres concorda com eles na mesma hora, enterrando sua própria consciência e aceitando isso. Quando nós entendermos que o problema não é que eles não entenderam, que eles simplesmente precisam que nós expliquemos gentilmente para eles mais uma vez, mas na verdade, eles entenderam, e é intencionalmente que eles apagam e negam a nossa realidade, então nós poderemos nos desamarrar de todos os vínculos dos homens e descobrirmos quem nós somos. E se isso não é o suficiente para nos irritar, considere que eles SABEM que eles estão nos extinguindo e destruindo, mas eles NÃO SE IMPORTAM mesmo quando nós entramos em pânico e surtamos e gastamos uma interminável energia argumentando com eles sobre coisas que nós já SABEMOS que é verdade! Como convencer um homem que ele não é uma mulher apresentando-o as nuances da biologia. Ele sabe. Ele quer consumir toda a nossa existência e nos destruir. Isso é deliberar.

Todos eles sabem isso. Qualquer homem que diga o contrário também está fazendo aquelas coisas que eles todos são bons: mentir.

 

Anúncios

2 thoughts on “Patriarcado à mulheres: se eu quero a sua opinião, eu vou dá-la a você (Tradução)

  1. Correção da Tradução diz:

    Maravilhoso esse escrito, agradeço muito pela tradução. Você aceita contribuições com traduções? Encontrei alguns errinhos e fiz umas correções pra ajudar :)

    Patriarcado à mulheres: se eu quero a sua opinião, eu vou dá-la a você (Correção da Tradução)

    Ele (ele é todo homem) me acusa de ter um argumento irracional e simplista, mas eu nem tentei argumentar. O que há com homens pensando que os “argumentos” das mulheres são errados quando mulheres não estão nem argumentando?

    Argumentar com nossos opressores é inútil. Eles não vão entender. Nunca. E eles vão dizer sempre que eles ENTENDEM e que a razão pela qual eles não concordam é porque nosso argumento é equivocado. Mas eles estão errados. A razão pela qual eles não entendem é porque nosso argumento é baseado na REALIDADE FEMININA da qual eles não participam e nunca, nunca vão participar, porque eles nunca serão mulheres. Nunca. Nunca. É como explicar a televisão para homens da caverna sem mostra-los uma televisão. Há elementos na nossa realidade que são literalmente invisíveis a homens e sempre serão PORQUE eles são homens. Este não é um pensamento simplista e binário, isso é a realidade biológica, social e cultural. Felizmente, nós também não temos que convencer homens de nada para entendermos em nossas mentes sobre assuntos relacionados inteiramente a nós. Nós não devemos à homens explicações e certamente, nós não temos que referenciar todas nossas percepções através de homens para elas serem reais. Essa noção é misógina e colonizadora. Nós podemos analisar nossa própria realidade e homens não entendem uma palavra sobre isso. Eu não vejo é diferente de isso não existe. Nós vemos isso. Você não. E é por isso que chamamos isso de cegueira. E você vai sempre e sempre estar cego a realidade feminina, então não tente me dizer como é aqui. Eu estou completamente cansada de discutir feminismo, ou seja, a realidade feminina com esse cara (ele é todo cara).

    É mais divertido e vantajoso trocar ideias com mulheres, embora que ele ainda vá tentar parasitar algo (na verdade, tudo que ele puder até que estejamos mortas) da nossa energia batendo uma (*) enquanto ele tenta intervir. Mesmo ignorando-o, nós temos que usar a nossa energia para continuar ignorando-o, porque ele constantemente nos atormenta por atenção.

    Também eu quero adicionar que essa presunção que homens tem que quando mulheres nomeiam a nossa realidade na verdade estamos tentando argumentar com eles e presumem que não temos conceito de o que a nossa realidade é a menos que eles a aprovem como real. Como se nós não pudéssemos simplesmente exprimir “é assim” sem ter que receber a aprovação masculina da nossa situação. É por isso que eles pulam no argumento. A verdade é que nós não estamos argumentando. Nós estamos te dizendo. É assim. Nós não estamos te procurando para apurar isso para fazer ser real. Muito do problema desse paradigma é que mulheres vivem em um mundo onde a realidade dos homens é real, a realidade das mulheres não é real, e tudo que pensamos que pode ser real tem-se que passar primeiro por um homem para ter certeza de que ele veja isso também (leia: para que ele então possa assegurar-nos que estamos alucinando se acontecer de percebermos algo que possa comprometer toda a dominação dele sobre nós). Homens não fazem isso com mulheres. Eles não referenciam as percepções deles com as mulheres para terem certeza de que eles não são… espere… irracionais ou delirantes. Porque homens tem a cultura apoiando-os desde o nascimento dizendo que homens são racionais e mulheres não. Homens tem o patriarcado dizendo que homens são os decisores de tudo e que mulheres são abandonadas emocionais. Nós somos feitas para duvidarmos de nossas próprias percepções, mesmo quando sentimos nas nossas tripas o que é real e verdadeiro e todos sinais apontam para isso.

    Mulheres que NÃO confirmam com homens que nossa realidade é real são registradas no radar masculino como nada mais que insanas, bruxas, precisando de lobotomia, histéricas, blá blá blá etc para sempre. Felizmente, uma vez que alcançamos esse ponto, essas tentativas feita por eles para continuar nomeando a realidade como ele acredita que é seu direito de nascença cai por terra para mulheres que perceberam que isto é direito delas. Nós não pedimos validação masculina. Nós validamos nós mesmas e não nos importamos com o que homens pensam.

    Imagine esse cenário:

    Você vive numa cidade onde chove. Você viaja para outra cidade. Você diz a alguém que na sua cidade chove. A pessoa responde “eu não acho que este seja um bom argumento”. Você explica que você É de lá e que você VIU a chuva e que você na verdade não está argumentando, apenas dizendo para ele COMO É. Ele diz que isso também não é um bom argumento, porque não está chovendo na cidade dele. Você diz a ele que é porque sua cidade fica em outro lugar. Você explica como o clima pode ser diferente em duas cidades. Por alguma razão, você está tão espantada pela aparente ignorância dele, que você até começa a explicar condensação e a ciência da queda da chuva (ele parece sem noção, quanto mais eu vou ter que explicar para ele?). Logo você se percebe explicando a estrutura molecular da água. Ao que ele responde que o clima é igual em todo lugar; ele sabe porque ele inventou isso e controla isso e é amigo do homem do tempo, ah, e também a sua cidade não está no mapa dele, então você é de lugar nenhum, sua trapalhona idiota; agora você não está apenas inventando histórias sobre chuva, você também está alegando que ela acontece em lugares que não existem, e na sua ilusão você ainda acredita que você é de lá! Prendam ela! Ela é doida! Nesse ponto sua boca começa a espumar. Você aponta que no mapa dele, a sua cidade está faltando. Você sabe que é real. Você esteve lá. E também, pelo amor de tudo que é sagrado CHOVE lá, também! Ele diz, “olha, agora você está ficando zangada porque você não consegue argumentar sobre a existência da chuva, ou sobre essa cidade que você inventou, a qual não está no mapa.” Então você aponta que talvez a pessoa que fez o mapa nunca esteve lá. “IMPOSSÍVEL!” ele responde como se você estivesse acabado de dizer que porcos voam. “Porque?” você indaga. Você diz, “É totalmente possível. Na verdade, DEVE ser o caso, porque EU CONHEÇO essa cidade, eu NASCI lá, então qual a outra explicação poderia ter para ela estar faltando no seu mapa?”

    Eu acredito que através de toda essa conversa, o gaslighting, o ciclo de funcionamento, o puxão de cabelo, o que nós estamos perdendo nisso é que: ele sabe da merda da cidade, porque ele a destruiu, a extinguiu e a colonizou. E ele sabe que chove lá porque ele controla o clima, como ele disse. Ou ao menos, ele pensa que controla. Garoto, ele tem uma onipotência sobre ele. E ele diz que nós estamos delirando? Espere um minuto… hmmmmm.

    Não há nada para argumentar. Isto não é sobre argumentos. Isto é sobre dominação. Eles não estão tentando argumentar conosco com essas “discussões”. Eles estão tentando nos calar. Voltas e voltas que nós damos, horas depois fumegando, nos perguntando porque eles simplesmente NÃO ENTENDEM.

    Eles entendem. É precisamente este o problema. O que eles não conseguem acreditar e provavelmente estão tão distraídos e entretidos para testemunhar é que você luta duramente. A maioria das mulheres concorda com eles na mesma hora, enterrando sua própria consciência e aceitando isso. Quando nós entendermos que o problema não é que eles não entenderam, que eles simplesmente precisam que nós expliquemos gentilmente para eles mais uma vez, mas na verdade, eles entenderam, e é intencionalmente que eles apagam e negam a nossa realidade, então nós poderemos nos desamarrar de todos os vínculos dos homens e descobrirmos quem nós somos. E se isso não é o suficiente para nos irritar, considere que eles SABEM que eles estão nos extinguindo e destruindo, mas eles NÃO SE IMPORTAM, mesmo quando nós entramos em pânico e surtamos e gastamos uma interminável energia argumentando com eles sobre coisas que nós já SABEMOS que é verdade! Como tentar convencer um homem que ele NÃO é uma mulher apresentando-o as nuances da biologia. Ele SABE. Ele quer CONSUMIR toda a nossa existência e nos DESTRUIR. Isso é DELIBERADO.

    Todos eles sabem isso. Qualquer homem que diga o contrário também está fazendo aquelas coisas que eles todos são bons: mentir.

    (*) nota: o termo que a autora usou não se refere a golpear alguém, é uma giria para masturbação (ela está falando dos homens parasitarem as mulheres usando as interações entre mulheres como material masturbatório quando tentam se intromenter entre elas)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s